quarta-feira, setembro 14, 2011

Todas as palavras em francês são sexualmente dúbias

Dei por mim a preparar a rentrée deste blogue em ambiente adverso.
Não há nada divertido para celebrar.
As férias foram uma categoria mas acabaram cedo demais. Tudo está mais difícil. Até rir está mais complicado. Resta-me sofrer deprimido com os apocalípticos telejornais, olhando o verão tardio que insiste em Setembro.
Dei por mim a pensar:
Rentrée soa tão gay.

Portugal é um pais mariconso.
Portugal é apanleirado e já todos se habituaram.

Deve ser da influência da sobrevalorizada cultura francesa. Os meus pais na sua "juventude" ouviam "som" francês. Não sei bem o que mas soava mal. Soava como qualquer tipo de música francófona. Mais um bocadinho e era uma merda.
(Só uma questão. Quem é aquele preto do MC Solar que aparece em todos os manuais de francês? Quem é a besta que acha que nos vai sensibilizar para o estudo da língua francesa, através de hip hop medíocre? Perdoem-me. É trauma. Em todos os anos do liceu lá ouvíamos aquela merda. Mais valia por na capa o grande Zinédine Yazid Zidane. Tão francês como o Eusébio é português.)

Portugal deve ser tolerante.
Portugal deve ser alegre e colorido.
Não se deve é votar.
Demasiados paneleirotes. Quem é que vota numa laranjinha?
Este primeiro ministro fez uma audição para um musical. Se existisse um tribunal da machesa ele tinha apanhado pena máxima.
(É mais fácil ser-se primeiro ministro em Portugal que conseguir um papel num musical de 5ª categoria.)
 Ou numa rosa? Não? Então o outro símbolo...
- Doida, eu vou votar num punho fechado?
- Porca, gostas deles grandes.
Ou numa estrelinha, ou num martelo.
- Camarda, chupe-me o falo.
- Avante. Viva o fellacio cooperativista.
Eles gritam slogans abraçadinhos.
E a malta do centro? Habituados aos padres e outras coisas. Demasiado óbvio. Um beijo ao Paulinho.
Em caso de muito molho de tomate, há que repetir a formula.
Vale conspirar e usar farda. Patentes, G3, chaimites e muito estilo.
Esses não respondem ao alerta. Só se o novo 25 de Abril estivesse inserido numa festa de moda no bairro alto.
- Querida. Os camuflados são o novo preto.
Se calhar precisamos de alguém com mais visibilidade, como os futebolistas.
Pfffffffffffffffffffffffff.
Era só para gozar. Toda a gente sabe que não existem futebolistas homossexuais.
Pfffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff.
Pronto, em termos de masculinidade, eles nunca poderão dar o exemplo. Depois das prostitutas, são a classe profissional que mais pilas vê. Superam mesmo os profissionais de saúde e enfermeiras taradas.
(Alguém me explica porque é que todas as jovens enfermeiras são assim? Libidinosas e smi-ninfomaniacas. Algumas gostam de carpetes e tudo.)

Enfim.
O país precisa de homens a sério.

Gostava que o nosso país se parecesse menos com um rapazinho da Madeira que conhece muitos estrangeiros.


E sim. A sonoridade do francês é amaricada à brava.

Sem comentários:

A Dieta - 5 - A Pesagem

IMC - 26,33 Sobrepeso Não me posso pesar todos os dias. Diz que torna a malta ansiosa e acho que a ansiedade engorda. Posso-me pe...