Rápidas considerações sobre uma noite de verão, a meio da semana, na Nazaré

Rápidas considerações sobre uma noite de verão, a meio da semana, na Nazaré

As ressacas existem.

Não existem Whiskys de 12 anos maus. Depende sempre do numero de pedras de gelo.

Na Nazaré ainda existem veraneantes que se vestem todos de preto, rematando com uns ténis brancos. Muita desta gente, fala francês e gosta de tatuagens de índole tribal.

Nesta altura do ano, é impossível fazer um concurso de beleza na Nazaré.

Os locais da praia reclamam junto das autoridades, uma maior contenção no uso de tinta para o cabelo por parte dos visitantes, afim de limitar os danos da poluição luminosa. As colónias de gaivotas vivem constantemente numa festa de trance.

Nunca alinhar numa noite de copos com um nazareno. Simplesmente não o podes acompanhar.

Ao pessoal da aventura e desportos radicais: Levem sempre par para uma noite deste tipo. Garanto que lá não se safam. Ou então não levem óculos.

Sabem aquele período da noite em que as mulheres começam a ficar bonitas, tudo lindo e apelativo? Lá, não existe esse momento.

Na Nazaré é possível que bandas de bar toquem José Cid e não exista uma rusga da "policia do tempo" no minuto seguinte. É trágico. A banda não tocava mal... Não tinham era talento... e parecendo que não, dá jeito.

Apesar de parecer sinistro, adoro a Nazaré e as suas gentes locais, recomendando esta localidade como um excelente destino para lazer e diversão. A comida é excelente e os ares são os melhores da região. Um mundo de coisas boas... tem é um lado "exótico-bimbo" muito pujante, aliás, como qualquer ponto do nosso Portugal que seja digno de registo.

Comentários

Anónimo disse…
polícia do tempo já!

Mensagens populares deste blogue

Dinosaur Love by Harry Baker

O que é ser rude?

A Dieta - 1 - Abotoar é um verbo sério