Ensaio sobre a masturbação feminina - parte III


Senhores. Outro exemplo? Conhecem o mito do jacto de agua do chuveiro?
Provem-nos. Provem os vossos chuveiros. Saberão do que falo.
- Que nojo, isso é mesmo parvo - diz ela.
Sim, é assim tão frequente.
- E vê se paras de limpar a pila ao cortinado. Isto não se aguenta - termina em forma de ultimato.
Sim, é assim tão frequente. Provem os vossos cortinados.
Abusar da cabeça de um chuveiro é muito mais digno. Não para a associação de defesa das cabeças de chuveiro molestadas por mulheres masturabadoras, a famosa A.D.C.C.M.M.M.
Várias em cada dez cabeças de chuveiro são vitimas de abusos sexuais. Muitas delas mal saem das lojas dos chineses.
É um crime afastado dos olhares de terceiros que prevalece na nossa sociedade desde que existem chuveiros.

Agora a sério.
É assim tão frequente?
É

Como disse antes. Isto calha em conversa.
- Estou?
- Sim fala do apoio ao cliente. O meu nome é Susana Vieira, em que posso ser útil?
- Eu gostava de saber se a senhora se masturba?
- Com certeza. Diga-me só com quem tenho o prazer de estar a falar e o seu numero de cliente. Aguarde um momento se faz favor. Obrigada.
Musiquinha do costume. Ela volta.
- Obrigado por continuar em linha. Lamento, mas o seu tarifário não lhe permite aceder a esse tipo de informação. Deseja fazer o upgrade para o pacote mastubante pro. Apenas tem de pagar mais 12,90 por mês.

Eu acredito.
Metade das inquiridas afirmam que não se masturbam.
Eu acredito.
Eu algumas... outras tenham paciência.

Umas não têm tempo para isso. Abençoadas. Nunca param. Demasiado exercício.
Outras têm nojo.
Mas do quê perguntam vocês? Do próprio corpo? Terão algum problema de higiene?
Para mim tem nojo do que estão a imaginar!
Sim, é assim tão frequente.
Terá alguma coisa a haver com a igreja ou com as outras formas de repressão da sexualidade feminina?
Ninguém sabe.
Ninguém consegue explicar.
Há quem responda que não o faz, porque não tem necessidade disso. Porque toda a gente sabe que são os mais necessitados, que mais se masturbam. Pobrezinhos.
E mesmo que haja alguma verdade nisto, não é redutor pensar desta forma? Desejar, sentir prazer nisso e com isso, são coisas boas. É positivo. É sinal de estar vivo e de saúde.
Então e aparte lúdica da coisa? E a arte?
Necessidade? Posso assegurar que muita pouca gente caiu nas malhas da masturbação.
Uma voz distorcida, quadradinhos, contra luz.
"Eu comecei nisto da masturbação muito nova. Eu vinha da escola e tocava as minhas bonecas. Começas nisto devagarinho. Primeiro tocas na boneca, depois a boneca começa a tocar em ti, e quando dás por isso 'tás agarrada. Eu lembro-me de um vez ter vendido uma televisão aos meus pais para ir comprar um vibrador. Não fazia mais nada, era só esta vida."

Cuidado com estas bombas relógio.
Até os médicos o aconselham. Faz bem ao corpo e à cabeça. Arrisco-me a reafirmar. Essencialmente, bem aos cérebro.
Porque calha sempre em conversa e porque é sempre mais frequente do que se pensa.

Pelo menos num convento.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dinosaur Love by Harry Baker

O que é ser rude?

A Dieta - 1 - Abotoar é um verbo sério