Ihr Revier ist die Autobahn (4 dias no SW Alentejano)

Alarm für Cobra 11 - Na RTP: Alerta Cobra.
Os meus amigos já sabem.
Domingo à tarde, no período de ressaca, depois de uma manhã mal dormida... tudo passa com um almoço ligeiro embalado pela empolgante acção da série alemã. Perseguições a alta velocidade e os melhores acidentes de viação da história.
Já tinha visto umas cenas nos canais de cabo, mas quando ouço alemão, da-me um espasmo no dedo e mudo de canal.
Pavlov conseguiria explicar.
Será pelos, Scorpions, Rammstein, Tokio Hotel, Helloween, Die toten hosen... mas o que é isto? Façam com os franceses. Desistam do rock. Está provado: não há talento musical para tanto.
Ou terei ainda uma imagem de que os Godos, são um povo de tarados obesos, que invadem a Madeira para oferecer gelados aos garotos? Gigantes de pele leitosa, Deambulando babosamente pelas mais sórdidas fantasias da ilha... arrastando a sua psicose e olhar tresloucado.
Se calhar vou ter sempre preconceitos com os macavencos.
Por mais que tente não discriminar, eles parecem-me esquisitos.
É um bicho perigoso.
Afinal: Usam sandálias. Tiveram aquele episódio dos nazis. As mulheres são feias e têm pés enormes - Como explicar? São parecidas com homens - Assassinam a arte de jogar bom futebol. O seu cão policia chama-se Rex - que é nome de dinossauro.
Juntem a isto tudo, a sonoridade da língua alemã. Agressiva e áspera, desprovida de doçura. "Estão sempre a ralhar!"; "Parece que estão a falar ao contrário."
Para os mais radicais, também eles merecem um genocidiozito. "Só para não ter a mania que invadem o mundo e dão conta dos Judeus". A atitude dentro da União Europeia também não tem ajudado. Dão beijinhos à França para comer o resto da Europa. Até ao osso.
Como não sou um gajo medroso, fui ver alemães. Como sou um gajo pobre, tive de me orientar pelo burgo. E como a minha namorada queria ir para a praia - Sudoeste de Portugal. Ai vamos nós.
Para mim esta viagem foi um safari sem espingardas.
Eu nunca imaginei. Em Monte Clérigo foi demais. Ali estava eu. No restaurante - Alerta Cobra - Na praia - mais Alerta Cobra - Mas será que eles não sabem que em Portugal se roubam criancinhas à bruta? Toda a gente que lá estava era estrangeira. Não me entendam mal. Todos se estavam a comportar, com cordialidade e simpatia, mas uma praia portuguesa tem uma reputação a manter. Ter alemães na praia, esteticamente - e mesmo em termos ecológicos - é muito mau para a nossa imagem. Eu defendo que praias com gente dessa, não devia ter bandeira azul. Hoje alemães, amanhã ingleses. Era só o que faltava. Para completar a Tripla aliança da fealdade, só faltam franceses.
Tudo acompanhado de meias brancas e os fatos-de-treino q.b.
Vinde a nós gente feia.
Já para não falar no défice de banho que essa malta apresenta. Eu já estive no estrangeiro com eles. Eu sei como parece e ao que cheira, a higiene pessoal desse gang. É por isso que nós estamos sempre na cauda da Europa. Gastamos dinheiro em sabonete. Pasta de dentes. Shampoo. Água. Essas coisas não contabilizam eles em Bruxelas e em Estrasburgo. Basta ver na Euronews. Só gente gira e aceada!
Vou escrever uma carta para a National Geografic, pedir uma bolsa para desenvolver uma reportagem. É sobre este tipo de Morsa esbranquiçado e mal-cheiroso, que invade o sul do meu país nos meses mais quentes.
Cá para mim isto é Karma. Temos o que merecemos.
Em Odeceixe precisei de comprar pão. Procurei em três sítios antes de o conseguir. Nesses três estabelecimentos, ninguém tinha pão fresco e sequer me indicaram uma alternativa. Encolheram os ombros. Ora numa terrinha daquele tamanho, ninguém sabia onde se vendia pão como deve ser. Minutos depois entrei numa modesta padaria. Muito arranjadinha e com ar limpo. Do outro lado do balcão estava um homem de t-shirt laranja e cabelo rapado. Não muito alto. Nas orelhas, brincos e um alargador. Tatuagens nos braços. A barba também não estava muito bem feita. Perguntei:
- Tem pão fresco?
- Tenho. Quer de quais? - Respondeu ele com um sotaque manhoso.
Olho para cima do balcão e à minha direita, encostados à parece, uma pilha de livros em alemão. Cada um 3€.

Temos o que merecemos.

P.S - Quem quiser fazer uma versão portuguesa do Alerta Cobra, podem contar com um guionista. Ainda entro com um fiat uno 45s de 88 e conheço um tipo igualzinho ao Semir.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Dinosaur Love by Harry Baker

O que é ser rude?

A Dieta - 1 - Abotoar é um verbo sério